Os cuidados com o meio ambiente na zona rural

0
Propriedade Rural Sustentável Embrapa Florestas

*Roberto de Alves Lima

 

Na área rural são muitas as preocupações no que se refere ao meio ambiente e desenvolvimento sustentável.

Estas vão desde o racional desmatamento, se necessário, para a abertura de novas áreas a serem cultivadas como pastagens ou plantio de lavouras, com a devida autorização dos órgãos governamentais responsáveis, até o escoamento da produção obtida.

Temos em Ituiutaba duas instituições da área:

  1. IEF: Instituto Estadual de Florestas, cuja equipe está capacitada e credenciada junto aos produtores quanto as questões que envolvem desmatamento e outras ações ambientais;
  2. EMATER-MG: Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural, instalada no Parque JK, cuja equipe desenvolve, entre outros, os trabalhos com foco no Desenvolvimento Sustentável.

Logo no início da instalação de novas áreas de produção, ou mesmo em propriedades já consolidadas, deve-se preocupar com a localização de uma boa e higiênica fonte de água para o abastecimento da família, animais e plantas. Mesmo assim, é indispensável o uso de filtros de água para o consumo.

É importante que se faça um bom trabalho de coleta das águas pluviais com o uso de calhas nos telhados que direcionem as mesmas para recipientes adequados. Assim, elas poderão ser utilizadas nas hortas, pomares, jardins, na limpeza doméstica e das instalações dos animais e etc, racionando o uso da fonte de água mencionada acima.

Entre outros cuidados ambientas, ainda podemos citar

  1. O escoamento adequado das águas de uso doméstico para que as mesmas não funcionem como fofos de doenças no quintal;
  2. A destinação correta do esgoto, com instalação de fossa sépticas, TVAP ou biodigestores da EMBRAPA;
  3. A separação de materiais passíveis de reciclagem e encaminhamento dos restos orgânico para produção de composto orgânico que pode ser enriquecido com esterco de animais;
  4. Quando necessário o uso de defensivos agrícolas, estes devem ser adquiridos com receituário agronômico e sua aplicação deve ser feita corretamente conforme as recomendações técnicas

É importante lembrar que ao adquirir qualquer defensivo agrícola ou pecuário, o comprador tem o compromisso de devolver o vasilhame para a empresa vendedora, obedecendo assim os princípios da logística reversa.

Com esses cuidados, o meio ambiente estará protegido, assim como a saúde do produtor e de outras pessoas.

Por último, precisamos lembrar que a conservação do solo é água é ponto crucial no preparo do solo para plantio de pastagens ou lavouras. Assim, após a locação de curvas de nível, devem ser construídos terraços e bolsões pois estas estruturas protegem o solo da erosão que tanto empobrece a fertilidade de nossas terras, além de evitar o assoreamento dos cursos d’água, que tantos prejuízos sofrem ao receber resíduos de defensivos.

Procedendo-se à prática de conservação do solo estamos protegendo as águas que são importantes para produtores à jusante da propriedade.

Em outros artigos voltaremos ao assunto da Produção Sustentável na Agricultura.

 

Roberto Alves de Lima – Engenheiro Agrônomo, formado na UFV – Universidade Federal de Viçosa, extensionista rural de 1972 a 2003 na EMATER-MG e atual 1º Secretário da PILZ – Associação Plataforma Ituiutaba Lixo Zero.

Acesse: www.plataformaituiutabalixozero.wordpress.com ; www.facebook.com/plataformaituiutabalixozero ou envie email com sugestões ou perguntas para [email protected]

SHARE
Previous articleMULHER- OBRA PRIMA DO CRIADOR
Next articleConceitos populares sobre a política

NO COMMENTS

LEAVE A REPLY