Reunião discute o papel das universidades em Ituiutaba

0
Foto: Eduardo Maia/Jornal do Pontal

Foi realizado na sexta-feira, 22, numa parceira da Comissão Parlamentar de Educação com a Câmara de Vereadores de Ituiutaba, um seminário que discutiu o papel das universidades públicas no desenvolvimento do Pontal do Triângulo.
Participaram da reunião diversas autoridades, entre elas o deputado federal e presidente da Comissão de Educação da Câmara dos Deputados, Caio Nárcio, acompanhado do ex-deputado estadual Zé Maia. Participaram também do evento o prefeito Fued Dib, o vice-prefeito Gilberto Bernal, o presidente da Câmara, Odeemes Braz, o secretário de Governo Dib Neto, o subsecretário de Educação, Marcelino Franco de Moura, vereadores e representantes das instituições de ensino superior do município.
De acordo com o deputado Caio Nárcio, o diálogo em conjunto entre as lideranças e as instituições de ensino superior é fundamental para a melhoria nas condições de atuação das universidades visando o desenvolvimento da região.
“A presença destes representantes de nossas instituições neste evento simboliza que todos estão conscientes que o desenvolvimento desta região perpassa pelas instituições de ensino superior, que são caracterizadas como as usinas do saber. Por meio deste seminário, pudemos perceber os desafios e dificuldades enfrentados por estas instituições e também o potencial que elas têm de promover o desenvolvimento do conhecimento e atuação na base para transformar a realidade do dia a dia”, comentou o deputado, que revelou que ainda há uma necessidade de melhorias e de desburocratização do ensino superior, para modificar a realidade dessas instituições, através da comissão.
Segundo o deputado, há um recurso financeiro proveniente de descontingenciamento do governo federal a partir da mudança da meta fiscal para ser liberado para a UFU, que será utilizado de forma decentralizada pelas três unidades existentes de campus avançados.
E, com relação ao Curso de Medicina, o deputado enfatizou que esta é uma luta possível de ser feita, necessária, mas que passa por etapas.
“Tanto para a UEMG quanto para a UFU, é necessário que se tenha um planejamento em nível de universidade, conselho universitário para proposição do curso, que precisa ser estabelecido e viabilizado também com um número de leitos, já que o curso de Medicina é vinculado a um número de leitos, ou seja, a cada cinco leitos, pode se ter a vaga para o curso. Lembrando que a UFU já tem um curso de medicina, e trazê-lo para a cidade de Ituiutaba é uma opção da universidade, e esta também é a nossa luta”, avaliou Caio Nárcio.

NO COMMENTS

LEAVE A REPLY