UFU Ituiutaba completa 10 anos com objetivos alcançados e metas

1

A Universidade Federal de Uberlândia, Campus Pontal completa em 2016, 10 anos de atividades no município de Ituiutaba. Neste período todo o Pontal do Triângulo vivenciou os grandes avanços na educação que a vinda da universidade federal proporcionou.

A UFU de Ituiutaba possui hoje onze cursos de graduação, sendo Administração; Ciências Biológicas; Ciências Contábeis; Engenharia de Produção; Física; Geografia; História; Matemática; Pedagogia; Química e Serviço Social. Para pós-graduação a universidade oferece mestrado profissional em Ensino de Ciências e Matemática e mestrado acadêmico (stricto sensu) em Geografia. As turmas são anuais em dez dos cursos de graduação e uma turma semestral no curso de Engenharia de Produção. Nove desses cursos estão indo neste ano para a décima turma, tendo iniciado às atividades no ano de 2007. Já os cursos de Engenharia de Produção e Serviço Social estão na quinta turma.

O assessor de Reitor e de assuntos administrativos da UFU (Campus Ituiutaba), Anízio Marcio de Faria, concedeu entrevista ao Jornal do Pontal e falou um pouco sobre os avanços do campus desde a sua implantação, expectativas e os próximos passos para o futuro.

Segundo ele alguns dos alunos formados nas primeiras turmas já estão trabalhando como professores na instituição. “Os cursos de Pedagogia e Ciências Contábeis, por exemplo, já contam em seu corpo docente com profissionais formados pela UFU, mesmo que seja trabalhando como professores substitutos. Além disso, muitos ex-alunos do campus estão espalhados ministrando aulas, por exemplo, no interior do Estado de Goiás, em institutos federais”, contou.

Obras – Existem em construção no campus duas obras voltadas para pesquisas de professores e pesquisadores de vários cursos da UFU, sendo dois blocos de laboratório, que estão em fase de acabamento e com previsão de entrega para o dia 2 de setembro de 2016. Outra obra, de maior porte, próxima a entrada e de maior visibilidade no campus é relacionada a construção de gabinetes para os 160 professores da faculdade e laboratórios de ensino de graduação. Além disso, estão sendo construídas vilas digitais, salas de informática e um auditório, obras de ampliação e melhorias na estrutura do campus que somadas chegam ao valor investido de, aproximadamente, R$ 25 milhões.

A entrada do campus foi instalada de forma improvisada e provisório, pela necessidade do local estar ligado diretamente a malha urbana do município. “A entrada principal, prevista no planos diretor do campus e que aguarda aprovação no conselho universitário, deverá passar pela lateral do prédio, na sequência da Rua Redenção (Rua 20). Hoje a entrada está locada em uma das quinas da universidade, para a adequação dessa entrada é preciso colaboração da Prefeitura Municipal e de outros agentes, pois é preciso realizar uma alteração na infraestrutura urbana, construindo uma rotatório de pistas de entrada e de saída no local, que não é de responsabilidade da instituição, por estar fora do campus. Para a parte interna estão sendo providenciados recursos, no intuito de iniciar a obra de entrada do chamado portal, que acumula vários serviços de vigilância e da secretaria, e a instalação da pista interna com estacionamento, substituindo os estacionamentos provisórios, com licitação prevista  ainda para este ano”, ressaltou.

Segundo o assessor, o plano diretor da UFU contempla vários estacionamentos internos, que após a construção da entrada principal deverão ser implantados a médio e longo prazo, de forma estruturada e de acordo com as novas instalações no campus. “Pretendemos instalar três estacionamentos, e com as sendo executadas atualmente também será criado um novo, totalizando quatro locais destinados aos veículos, o que certamente suprirá toda a necessidade que temos hoje e dará fôlego durante um maior período”, salientou.

O campus da UFU de Ituiutaba possui área total de 500 mil metros quadrados (50 hectares), divididos em quadrantes de acordo com o plano diretor da instituição. “São cinco quadrantes, estando ocupado atualmente o quadrante nordeste, posteriormente, será iniciada a ocupação nos quadrantes mais próximos, sendo o quadrante norte, central, e assim por diante, formando um conjunto de blocos destinado a área de ensino, pesquisa, lazer, extensão, saúde, em uma série de obras programadas para o futuro, instalando bibliotecas, centro de convivência, centro esportivo universitário, estação de tratamento de água, esgoto e energia elétrica”, contou.

Medicina – A instalação do curso de Medicina na UFU de Ituiutaba se encontra no Ministério da Educação – MEC, dependendo de sua liberação para o início da instalação. “Temos o programa do Governo Federal chamado Mais Médicos em curso, estando em sua terceira etapa, programadas as liberações de recursos e as instituições escolhidas para implementar novos cursos de Medicina ou ampliar as vagas nos cursos já instalados. Essa etapa vai até 2017, e nossa expectativa é que na quarta fase, no início de 2018, estejamos inclusos e que o curso seja instalado em nossa unidade. Todas a etapas até esse momento foram vencidas, sendo feitos estudos de viabilidade, com relação ao postos de saúde e hospitais da região, tudo sendo documentado, efetivado e registrado no MEC, porém é preciso aguardar a conclusão desta etapa do programa. Acredito que em 2018 será o início da implantação do Curso de Medicina em Ituiutaba”, afirmou.

Parque do Goiabal – Segundo Anízio, a Prefeitura Municipal tem a intenção de utilizar o local para diversos fins e abertos à população tijucana, e inclusive, busca parcerias com a UFU, que também possui interesse em administrar o parque. “O maior problema talvez seja as finalidades na utilização, por exemplo, os cursos de Geografia e Biologia possuem interesse de exploração no sentido de preservação ecológica das espécies nativas do cerrado e da fauna. Porém, nesse momento nos encontramos sem condições financeiras de fazer qualquer investimento no Goiabal. Apesar disso, temos o interesse e creio que ambas as partes precisam fazer um refinamento neste diálogo para entrar com um objetivo comum, que atualmente são um pouco divergentes, pois a administração pública tem interesse em explorar a área de forma até mesmo comercial, e nós no sentido de preservar a explorar o sistema ecológico interno, sendo um importante ponto de pesquisa para nós”, disse.

Interação – O programa “Vem pra UFU” é desenvolvido anualmente, estabelecendo contato da universidade com as escolas do município, apresentando o futuro profissional dentro de cada curso e as expectativas criadas para aqueles que ingressam na universidade, com previsão para o mês de outubro deste ano. “Além do programa, os estágios dos cursos de licenciatura propiciam contato direto dos alunos da UFU com escolas de Ensino Médio, levando conhecimento para auxiliar o aprendizado desses alunos, e também divulgar a universidade, pois percebemos que existe uma baixa procura dos alunos de nossa região pelos cursos da UFU, por existir um mito, ou cultura previamente estabelecida de que a universidade é muito difícil ou pouco acessível, sendo importante essa conscientização, quebrando essa mítica que a universidade é um local para poucos, e sim para todos”, afirmou.

Estrutura – Segundo Anízio, o Campus Pontal foi uma das primeiras expansões das universidades públicas, a partir do ano de 2003. “Nosso campus está entre os 10 pioneiros na modalidade de expansão, e se fizermos uma visita aos demais campus fora das sedes, podemos ver que estamos em uma fase mais evoluídas, apesar de todas as dificuldade e de termos muito o que melhorar e crescer, mas temos uma estrutura que favorece muito, principalmente, por estar ligada a malha urbana, que facilita o acesso dos estudantes e servidores ao campus. Precisamos melhorar a questão do transporte público, que ainda apresenta algumas falhas de atrasos e circulação em determinados horários, porém, estamos muito bem se comparados a outros campus fora de sede espalhados pelo Brasil” ressaltou.

A construção do Centro Esportivo Universitário – CEU está aprovada pelo Governo Federal, porém o repasse para a obra nunca foi feito. “Não possuímos autonomia financeira para gerir a universidade, por isso dependemos desse recurso para instalar o CEU na UFU. Hoje o que possuímos um convênio com o Ituiutaba Clube, podendo os corpos docente e discente frequentar o local, para desenvolvimento de atividades físicas, além disso, instalamos no campus uma academia, construída dentro de contêineres, não perdendo em nada para as melhores academias de Ituiutaba”, explicou.

Segurança – A UFU conta atualmente com serviço de segurança patrimonial, prestado por uma empresa terceirizada durante 24 horas, e que gera significativa despesa no orçamento da instituição. “O futuro da segurança na universidade também depende de propostas apresentadas pelos candidatos a prefeito do campus. Podendo permanecer apenas no molde patrimonial, ou ser ampliada para guarda universitária efetiva”, disse.

Anízio disse que a faculdade possui atualmente cerca de 2400 alunos, 65 técnicos administrativos e 161 professores.

ENEM – A Universidade Federal de Uberlândia adota o Exame Nacional do Ensino Médio como única forma de entrada no campus desde o ano de 2010, com exceção do vestibular que ocorre no meio de ano. “100 por cento das vagas ofertada no início dos anos são preenchidas via ENEM, e percebemos que cada vez mais temos alunos de fora da região, vindos principalmente do interior do Estado de São Paulo, de Belo Horizonte, Ipatinga e até do Estado da Bahia. Esse fator acelera o crescimento e desenvolvimento do município, por ter mais pessoas trazendo recursos de fora do orçamento”, afirmou.

Balanço – O início das atividades da UFU em Ituiutaba se deu no dia 4 de setembro de 2006, em espaço improvisado, até o ano de 2010, tendo mudado para o campus a partir de 2011. Essa mudança trouxe autonomia maior para as atividades, conhecimento para as demandas e necessidade de ampliação, inclusive em termos de novos cursos. “Acredito que a cada ano que se passa, temos a total certeza que a tendência do nosso campus é a de crescimento. Vivemos a expectativa da vinda do curso de Medicina, e também a efetivação das pessoas que temos formado que trará evolução em termos de mão de obra qualificada e conhecimento”, finalizou.

1 COMMENT

LEAVE A REPLY